Tratamento

Traumatismo da Coluna Vertebral.

Os traumas da coluna vertebral permanecem como uma das lesões traumáticas mais complicadas, com possibilidade de graves consequências funcionais, principalmente pela alta incidência na população jovem, economicamente ativa. O principal objetivo no atendimento às vítimas é reduzir a chance de haver déficits neurológicos e prevenir lesões adicionais que podem ocorrer no atendimento à vítima.

As principais causas são: acidente automobilístico, motociclístico ou ciclístico, quedas, ferimentos por arma de fogo, ferimentos por arma branca, agressão física, acidentes na prática desportiva, entre outras.

Os mecanismos do trauma ocorrem por contusão direta da coluna, desaceleração ou aceleração brusca, que podem levar a fraturas, rupturas de ligamentos e instabilidade na coluna, podendo levar a lesão da medula espinhal, raízes e vasos supridores da região. O trauma resulta em uma perda total de sensibilidade ou da motricidade, como andar, e correspondem à altura de onde ocorreu o dano, por exemplo, lesões na região do pescoço levará a perda da sensibilidade abaixo do nível lesionado.

Quase a metade dos casos de lesões da coluna vertebral é completa. Lesões completas da região cervical superior podem chegar a comprometer a capacidade de respirar e levar a necessidade de uso do ventilador mecânico. As lesōes incompletas podem variar desde paralisia e perda de sensibilidade de um lado do corpo ou predominar apenas nos membros superiores ou inferiores.

Radiografias, Tomografia Computadorizada e Imagem de Ressonância Magnética são opções de exames a serem usados para avaliar a coluna vertebral.

O tratamento pode ser o acompanhamento clínico em lesões leves. Casos mais graves, ou com potencialidade de gravidade, podem necessitar de intervenção cirúrgica que visa a estabilização da coluna, descompressão do canal vertebral por fragmentos ósseos ou hematoma, evitando lesões de estruturas nervosas secundárias a instabilidade e isquêmia local.